Como saber se o disjuntor está queimado
By Esgotecnica / Manutenção / 0 Comments

Como saber se o disjuntor está queimado

Os disjuntores são peças presentes em qualquer residência. Este tipo de equipamento é primordial para garantir a segurança do sistema elétrico de uma casa, empresa, condomínio e etc… Por ser tão importante é necessário saber identificar quais problemas podem estar ocorrendo com ele, coisas como interruptor fadigado, sobre aquecido ou disjuntor queimado.

A Esgotecnica conta com uma equipe especializada e composta por profissionais treinados para o diagnóstico e reparo de problemas na rede elétrica. Porém, existem alguns testes e até mesmo manutenções que podem ser feitas por você.

Como funciona o disjuntor

Antes de entrarmos mais afundo nos problemas mais comuns dos disjuntores, primeiro é preciso entender o que é um disjuntor e como ele funciona.

Os disjuntores já existem há muito tempo, aqui no Brasil, os dois modelos mais comuns são os disjuntores Nema (disjuntores pretos, residências e mais antigos) e os disjuntores DIN (Disjuntores brancos, mais modernos e os mais seguros).

O disjuntor funciona como uma “emenda” do fio. A fase do fio entra pela entrada do disjuntor e a continua na saída. Porém, dentro do disjuntor a rede é estabilizada e limitada. Por exemplo, um disjuntor de 20 amperes sempre vai liberar no máximo 20 amperes na sua saída. Independente da potência da rede.

Cada instalação tem as suas necessidades e consequentemente precisa de disjuntores diferentes.

A função principal do disjuntor é proteger o sistema elétrico e seus dispositivos em caso de sobrecarga de energia ou então superaquecimento. Ao detectar algum desses problemas, o disjuntar “desarma” cortando a corrente e evitando curtos e anulando o risco de incêndios por sobrecarga.

Ou seja, essencialmente o Disjuntor é um dispositivo de segurança. Não é à toa que ele é obrigado em todas as instalações elétricas. Sempre que o disjuntor desarma, há algo errado com alguma coisa na rede elétrica. Portanto, ele serve também como aviso de que algo não está certo.

Este é o escopo básico de como funciona um disjuntor. Vamos agora entender quais os principais problemas que a peça apresenta.

Disjuntor queimado – como descobrir

As vezes o disjuntor está armado da maneira correta, mas a energia não passa. Isso pode ser sinal de disjuntor queimado. Pode ser também erro da ligação ou até mesmo rompimento do fio em algum momento.

Para testar se o disjuntor está queimado, é necessário o uso do multímetro ou alicate amperímetro. Coloque o aparelho na escala de “Teste de continuidade”, ao encostar as pontas de teste uma na outra, o aparelho faz um “bip”.

Importante: Retire o disjuntor da rede antes de realizar o teste. Ou desligue o relógio geral antes.

Arme o disjuntor e encoste uma ponta de prova no parafuso de entrada do disjuntor e a outra ponta no parafuso de saída. O medidor então emitirá um som de bip. Isso quer dizer que a corrente está passando da maneira correta. Isso quer dizer que o disjuntor está funcionando como deveria.

Também é interessante fazer o mesmo teste com o disjuntor ligado. Pois, quando desarmado, ele não pode passar corrente de maneira alguma.

Nestes casos, não há outra solução se não trocar o disjuntor. Porém, é importante tentar investigar o porque o disjuntor parou de funcionar. Muitas vezes, o superaquecimento danifica as peças internas. Portanto, é necessário identificar o porque o disjuntor estava sobrecarregando para não cometer o mesmo erro.

A equipe de eletricistas da Esgotecnica pode realizar este tipo de diagnóstico preciso para descobrir o motivo do disjuntor ter queimado e proteger a sua instalação elétrica!

Disjuntor desarmando, o que fazer?

Outro problema recorrente dos disjuntores é ele desarmar de forma constante. Isto pode estar acontecendo por dois motivos principais. Ou o disjuntor está fadigado e consequentemente desarmando à toa ou há superaquecimento ou sobrecarga em algum ponto.

Importante: Antes de determinar que o disjuntor está fadigado, procure todas as possibilidades possíveis de curto e sobrecarga. Muita gente, acreditando que o disjuntor está apenas fadigado, troca por um mais forte e passa a correr o risco de curto na rede. Ou, no mínimo, continua apresentando o mesmo problema.

Ou seja, se o disjuntor está desarmando, nada de colocar fita isolante, arame ou prego para segurar a chave. Isso apenas coloca você e todos na sua residência em risco.

Se o problema for superaquecimento do disjuntor. Será possível notar fios derretendo e o disjuntor com aparência enegrecida (também chamada de zinabre). Os motivos para o superaquecimento são muitos, incluindo bitola muito pequena, curto ou parafusos mal apertados.

Enquanto diagnosticar um disjuntor queimado é fácil e pode ser feito em caso com o uso de certos equipamentos, encontrar o motivo do desarme do disjuntor deve ser deixado para profissionais da área.

Evite risco e dor de cabeça, conte com a Esgotecnica para garantir a segurança da sua residência, empresa ou comércio.

Entre em contato com a gente e conheça nossos serviços e condições. Atendemos na Grande São Paulo e em várias cidades do interior paulista. Além do mais, contamos com serviços de urgência 24 horas, prontos para lhe atender a qualquer imprevisto.