By Esgotecnica / EletricidadeManutençãoReparos / 0 Comments

Disjuntor desarmando com frequência: O que pode ser?

Sexta-feira, você chega em casa depois de um longo dia de trabalho, vai direto para o banheiro tomar uma chuveirada quente antes de deitar no sofá. Liga o chuveiro e vem aquela água escaldante. Você começa a esquecer do dia problemático depois de alguns minutos e aí, de repente, a água que antes estava quente vira uma torrente gelada, você pula para fora do banho e antes de terminar de se secar já começa a imaginar o que aconteceu.

Poucos instantes depois se constata o mesmo problema da semana passada e de outras vezes: o disjuntor desarmou inadvertidamente durante o banho. Você provavelmente já ouviu falar desse tipo de situação, não é mesmo? Mas afinal de contas, por que o disjuntor pode desarmar com frequência e de forma inesperada?

A Esgotecnica ajudará você a entender os motivos que podem levar o disjuntor a desarmar com frequência. Ao final desse texto, você entenderá as razões que provocam esse problema e como a Esgotecnica pode te ajudar a solucioná-lo.

Para começar, lembremos o que são e o princípio de funcionamento dos disjuntores.

Um disjuntor é um equipamento de proteção, geralmente constituído de um relé térmico e um relé magnético. O relé térmico é o responsável por abrir o circuito em casos de sobrecorrentes que geram superaquecimento com o tempo, e o relé magnético é o responsável por interromper fluxo de corrente elétrica em casos de curto-circuito.

O relé térmico tem um tempo de atuação lento. Geralmente a sobrecorrente é uma corrente maior do que o esperado para a instalação, mas que não é decorrente de um curto-circuito. Nesse caso, essa corrente maior do que o normal irá provocar um sobreaquecimento da rede elétrica, incluindo o relé térmico. Quando a temperatura atingir um determinado nível, o relé abre e interrompe a sobrecorrente que provocava o sobreaquecimento.

Já o relé magnético é de atuação extremamente rápida. Quando acontece um curto-circuito na rede elétrica, a corrente que passa pelo disjuntor aumenta exponencialmente e num intervalo de tempo muito curto. O relé magnético abre ao perceber esse pico de corrente e impede a corrente de curto-circuito de provocar danos mais graves na rede.

Através desses dois relés os disjuntores desempenham o importante papel de proteger as instalações elétricas de perigosos curtos-circuitos e sobrecorrentes que geram superaquecimento.

Até aqui nós já podemos entender o porquê de o disjuntor desarmar durante o banho por exemplo. No nosso exemplo inicial, pode ter acontecido de o chuveiro ter sido trocado recentemente por um outro de potência muito maior, mas sem ter sido feita a devida atualização e inspeção da fiação e revisão dos disjuntores. Assim, o circuito do chuveiro demandou uma corrente maior do que a originalmente projetada e para a qual o disjuntor estava dimensionado.

Outra possibilidade é a existência de algum curto no circuito do chuveiro, geralmente provocado por emendas soltas ou ausência de isolamento adequado. Vamos listar abaixo as mais recorrentes causas do desarme frequente de disjuntores.

  • Utilização de equipamentos que demandam uma potência maior do que a projetada para a instalação original (muito comum em casas e apartamentos antigos).
  • Disjuntor subdimensionado.
  • Existência de curto ou corrente de fuga na rede.
  • Equipamentos defeituosos com correntes de fuga.
  • Ocorrência de muitos equipamentos de potência elevada ligados ao mesmo tempo e por um tempo prolongado.

Destacamos da lista acima o primeiro item. Muito comum em residências e imóveis mais antigos em que a instalação elétrica foi projetada para uma determinada potência, condizente com a época da construção do imóvel, mas que com o aparecimento e introdução na vida doméstica de novos e modernos equipamentos eletrodomésticos e eletrônicos que não existiam antigamente, passou a ser uma potência insuficiente. Como o disjuntor original foi dimensionado para a potência do imóvel original, mais baixa do que a utilizada atualmente, os relés do disjuntor desarmam com frequência.

Para resolver o problema de desarme do disjuntor, é necessária uma avaliação de qual a causa do problema. Será um equipamento novo com potência elevada que não era previsto no projeto da instalação original? Será um imóvel antigo que necessita de uma atualização na fiação e nos disjuntores para atender ao padrão de consumo mais atual? Ou ainda, será que existe algum curto ou defeito em emendas ou em algum equipamento utilizado?

Para levantar essas informações e apontar corretamente e com segurança o procedimento para solucionar o problema, faz-se necessário a presença de um eletricista experiente e competente. É aqui que a Esgotecnica pode ajudar. Nossos serviços de revisão e instalação de disjuntores e nossas visitas para avaliação e identificação de problemas são feitas por profissionais com experiência de mercado e que realmente entendem dos problemas elétricos modernos.

Não espere o disjuntor desarmar mais uma vez e te deixar na mão. Faça contato conosco e agende uma visita!

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *